9º Congresso Rodoviário Português

Nos últimos 20 anos, o Congresso Rodoviário Português constituiu-se numa oportunidade única para o encontro de gestores, técnicos, docentes, investigadores e outros stakeholders do setor das infraestruturas de transportes, num ambiente propício à partilha de experiências e ao estabelecimento de sinergias na procura de soluções para os novos desafios que se vão colocando ao setor em todos os países.

Nesta 9ª edição do Congresso, salientamos a participação do Brasil como País convidado. Para além da delegação do Brasil, que se espera expressiva, contamos também com a participação de delegados provenientes de outros países de língua portuguesa, à semelhança do que aconteceu nos últimos Congressos organizados pelo CRP.

O Lema deste Congresso - Importância de boas práticas – tem como objetivo dar relevância a uma forma de estar que é desejável incentivar em todos os intervenientes no setor consubstanciada na necessidade de selecionar e implementar as melhores práticas em todas as atividades a realizar em cada uma das fases do ciclo de vida das infraestruturas. É através da adoção das melhores práticas que as Concessionárias, as Empresas e as Instituições Públicas do sector podem melhorar a eficiência e ser mais competitivas.

Em Portugal, as redes Rodoviária e Ferroviária encontram-se em fases distintas do seu ciclo de vida, o que aponta para a necessidade da discussão das questões técnicas relevantes referentes a boas práticas a adotar em cada uma dessas fases. Para o caso da Rede Rodoviária, o principal foco será a Manutenção de Pavimentos, ao passo que para a Ferrovia, o objetivo prioritário é a discussão da reabilitação das linhas, e em particular das respetivas plataformas.

Com efeito, a Rede Rodoviária Nacional necessita fundamentalmente de atividades de Operação e Manutenção por parte das Concessionárias a quem estão atribuídas essas tarefas. Na verdade, a rede foi construída essencialmente a partir da adesão de Portugal à UE (1986). Torna-se particularmente oportuna e relevante a discussão de aspetos incluídos nos sistemas de gestão da conservação da infraestrutura (pavimentos, terraplenagem, sistema de drenagem, equipamentos de sinalização e segurança, obras de arte, túneis, etc.). Dada a importância que o estado dos pavimentos tem para a circulação dos veículos – nomeadamente no que respeita à segurança e ao conforto - é particularmente oportuna a discussão das técnicas aplicáveis à conservação dos pavimentos, incluindo as que são utilizadas com carácter preventivo e com carácter corretivo. Uma tal discussão será de grande utilidade para as entidades responsáveis pela O&M das redes, nomeadamente Concessionárias, e também para os Projetistas e Empresas intervenientes nas obras de Manutenção, permitindo tomar contacto com as melhores práticas a adotar, para posteriormente as selecionar e implementar.

A Rede Ferroviária, construída maioritariamente na segunda metade do Século XIX, tem uma Concessionária, a Infraestruturas de Portugal, e desde 2016 está a ser objeto de importantes obras de renovação. Entre os objetivos dessa renovação inclui-se a promoção do transporte de mercadorias através da ferrovia, implicando um investimento superior a € 2,75 biliões. Atenta a influência determinante que tem a plataforma onde apoia a superestrutura ferroviária (balastro, travessas e carris) nas condições da circulação, a discussão sobre boas práticas de reabilitação da plataforma é particularmente oportuna.

À semelhança do que aconteceu no congresso anterior, e atento o favorável acolhimento a tal decisão, a Comissão Organizadora manteve a ferrovia nos temas do Congresso. O objetivo é o de fomentar a discussão de questões científicas e técnicas comuns aos dois modos de transporte, nomeadamente relativas a procedimentos para a caracterização e análise do estado da infraestrutura, a materiais e processos construtivos, e incluindo o fomento da inovação tecnológica, sustentada em projetos de investigação aplicada que tenham em conta as especificidades dos dois tipos de infraestruturas.

A Comissão Organizadora está a desenvolver um conjunto de ações, a começar por uma criteriosa seleção de temas e tópicos, visando estimular uma participação ativa do meio técnico de Portugal e de todos os países que integram a CPLP, quer através da apresentação de comunicações quer através da sua participação no Congresso, em Maio de 2019.

Em síntese, pode dizer-se que o Congresso está a ser organizado com o objetivo de proporcionar a todos os participantes um agradável convívio, que estimule uma ampla e aberta troca de conhecimentos e de experiências numa área pluridisciplinar de atividade tão importante para o desenvolvimento económico e para o bem-estar social, como é a do transporte terrestre.